O auriga mascarado

O auriga mascarado 2017-10-10T13:19:15+02:00

“Quanto melhor for o vilão, melhor é o filme.” René Goscinny e Albert Uderzo, grandes cinéfilos, retiveram a lição do mestre Alfred Hitchcock na conceção dos antagonistas que vêm regularmente perturbar a tranquilidade da aldeia dos seus heróis gauleses. Para dar apenas um exemplo, o sorriso diabólico de Lindomeninis ao gritar “Acabo de ter uma ideia horrenda!” em Astérix e Cleópatra é digno dos mais diabólicos vilões do grande ecrã.

Em Astérix e a Transitálica, Jean-Yves Ferri e Didier Conrad inovam ao apresentarem o misterioso auriga mascarado: Coronavírus, o campeão romano das MCDLXII vitórias! Não recuando perante nada para roubar o protagonismo aos seus adversários, e almejando obter mais uma vitória para sua glória e a glória de Roma, Coronavírus é um concorrente temível, cujo sorriso estático não inspira confiança a Obélix.

Didier Conrad desenhou uma dezena de máscaras para esta personagem atípica, propondo opções narrativas variadas: “Trabalhei um pouco em todas as direções possíveis”, explica ele. “É sempre melhor escolher em função do argumento, devendo o desenho seguir este último, pelo que tive necessidade de colocar muitas questões ao Jean-Yves. Deverá este concorrente ter uma linguagem corporal específica? É sério ou fanfarrão? Tem falas ao longo do álbum? E, se sim, como se exprime? Até que ponto deve ir o seu lado dramático?”

Para a máscara, as propostas de Conrad vão desde o design puro até à máscara de Zeus/Júpiter, desde a opção cómica até à versão assustadora, passando por variações de capacetes gregos e incluíndo até uma máscara “dupla” (drama/comicidade), inspirada na figura de Jano, o deus romano
de duas faces. Ferri faz a sua opção com base em critérios muito precisos: “Eu queria que ele fosse fanfarrão, sem dúvida nenhuma! Mas obretudo irónico, pois para mim aquilo que a máscara deveria exprimir em primeiro lugar era a superioridade da personagem face aos outros concorrentes. A máscara também permite jogar com o mistério da identidade, à maneira de alguns vilões célebres da BD.”

ENTÃO… QUEM SE ESCONDERÁ POR TRÁS DESTA MÁSCARA???